Carta de índio sobre queimadas na Amazônia

13:17


Mensagem recebida de um leitor, que preciso publicar. Leia e reflita!

"Olá, pálido conterrâneo,

Sou o índio Lacrã, e dito esta carta do alto de meus 99 anos. Sim, vivi muito, mas meu futuro é incerto. Minha casa arde. Meu bisavô, ontem, mostrou-me tristes fotos que recebera no WhatsApp e que evidenciam o impacto das queimadas em importantes tribos como Caingangues, Ticunas e Osasco.


Parece que as estatísticas não são plausíveis o suficiente para provar o tamanho da tragédia.

Acaso parece mentira que 300 trilhões de quilômetros já foram desmatados neste ano?!

Que 12 bilhões de índios que sofrem sem floresta?!

Que, em 2 anos, não haverá árvores no mundo?!

E que todos nós brasileiros ingerimos 150 litros de agrotóxico por semana?!

Acho que não, irmão!

No entanto, escrevo para informar a boa nova. A situação irá melhorar e o fogo irá parar, principalmente porque a Anitta já se pronunciou. Ela é muito amada na nossa tribo, pois assim como nós não costuma usar roupas.

Outros intelectuais como Felipe Neto já se pronunciaram, e até Emanuelle Macron, estão conosco. Eu, particularmente, sou muito fã da presidente da Emanuelle, da França, desde a época que sua série passava à noite na Band. Mulher muito atraente.

Ademais, amigos, ONGs estrangeiras se ofereceram para gerir nossas terras. Generosas, mandaram-nos espelhos em troca, excelente negócio. Toda a negociação foi feita com cuidado por nosso cacique Maurício de Carvalho Matarazzo, lá na PUC, onde ele trabalha como professor de antropologia.

Quero vos afirmar que vamos sair dessa juntos. Nós, índios, somos como vós, sem a parte da civilização. Mas não ache que precisamos dela. Não precisamos de nenhuma ideia ocidental, como bem nos ensinaram a FUNAI e os pensadores franceses que nosso cacique nos apresentou. A teoria marxista explica por quê.

Por fim, gostaria de convidar a todos para a manifestação que acontecerá nesse fim de semana. Venha sem camisa para fazermos a pintura corporal. Cocares e arcos e flechas serão distribuídos no local. Também haverá vendas de acessórios, que poderão ser trocados por roupas da moda.

Obs. 1: Protestarei até eu completar 100 anos, e vos convido a participar comigo. Fiquem tranquilos porque o ano na nossa tribo só dura 30 dias.

Obs. 2: Caso não tenha onde dormir, deixe seu nome para dormir com nossa comitiva indígena na casa da Anitta.

Obrigado, pessoal.
HAU."

Índio Taiguara Lacrã, Amazonas.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.